quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Higiene Íntima Feminina: mitos e verdades



Uma das questões levantadas pelas pacientes nos consultórios de seus ginecologistas é o certo ou o errado na hora da higiene íntima

Apesar de ter consciência que os cuidados com a região são essenciais para a saúde, há ainda muitas dúvidas sobre o que é mito ou verdade na hora de manter o local livre de bactérias e infecções.

 “É importante ressaltar que a área íntima da mulher possui naturalmente micro-organismos que formam a flora vaginal e mantém seu equilíbrio. Alguns hábitos, em excesso, podem deixar a região desprotegida e propensa a bactérias”, explica o ginecologista e obstetra Élvio Floresti Junior.

Para esclarecer, o especialista enumera algumas questões mais comuns:

1.   O Sabonete íntimo ajuda equilibrar o pH vaginal?



Verdade.

A região íntima possui um pH ácido, diferente do pH encontrado em sabonetes comuns, que geralmente possui pH alcalino.

O sabonete íntimo geralmente mantém o equilíbrio do pH ideal da região. Mas não é por isso que é necessário apenas utilizar este tipo de produto. Outra alternativa é um sabonete de pH neutro encontrado com facilidade nas prateleiras das farmácias e supermercados.

2.   É recomendado a depilação geral dos pelos na região genital?



Mito.

No ser humano, esse efeito de proteção não é importante. Com ou sem pelos pubianos, o mais importante é a higieneíntima correta.

3.   Na hora do banho, apenas a parte externa da vagina deve ser lavada?



Verdade.

Tanto o sabonete como o enxague devem ser feitos apenas na parte externa.
A vagina tem uma secreção normal de proteção e o uso de duchas vaginais podem diminuir essa quantidade, afetando a flora de proteção e favorecendo a proliferação de germes oportunistas.

4.    O uso de lenço umedecido equivale a um banho?

Mito.

Nada como água e sabonete. Os lenços umedecidos podem ser usados apenas em alguns casos, quando realmente for necessário e estiver sem a possibilidade de tomar banho. O uso de lenço umedecido em excesso pode ocasionar a secura natural da região vaginal eliminando sua lubrificação.

5.    É necessário lavar a região após a relação sexual?

Verdade.

A micção é aconselhável antes e após a relação sexual, assim como a higiene. Isso diminui acentuadamente a incidência de infecções vulvares e urinárias.

6.   O tipo de calcinha não interfere na saúde da região íntima?



Mito.

O ideal é optar por tecidos que garantem a ventilação da região. Algumas calcinhas apertadas e de material sintético acabam atrapalhando essa ventilação.
Calcinhas de algodão facilitam a transpiração.
Também não adianta utilizar a calcinha certa, mas manter a região abafada com uma calça muito apertada por exemplo.
Se puder dormir sem calcinha seria até melhor.

7.   Durante o período menstrual é necessário aumentar a frequência da higiene?

Mito.

Sangue menstrual não é sujeira e não causa doença.
Vai depender de cada situação e intensidade do fluxo menstrual. O mais importante neste caso é fazer a troca do absorvente interno ou externo a cada 4 horas durante o dia e manter a rotina diária da higiene íntima.

8.   É normal a mulher ter algum tipo de corrimento?

Verdade.

A secreção vaginal faz parte do mecanismo de proteção da mulher. O fato de no final do dia manchar a calcinha não necessariamente significa algo patológico. Na dúvida, consulte um especialista.

9.   Lavar a Calcinha durante o banho é proibido?



Mito.

Lavar a calcinha no chuveiro com um sabão adequado não tem problema algum. O problema está na hora da secagem. Não pode deixar a calcinha secando no box do banheiro. O local úmido favorece a proliferação de fungos e bactérias.

10.  Usar protetor de calcinha o tempo todo pode ser prejudicial?



Isso é uma meia verdade.

Já fomos radicalmente contra o uso de protetores diários de calcinha, se usados o tempo todo. Mas com a melhor evolução deles, verificamos que não houve uma mudança significativa nas usuárias e não usuárias desses protetores diários. Eles são bem finos e apenas absorvem a secreção diária, impedindo de sujar a calcinha.
Eles não devem ser utilizados com calcinhas muito apertadas, principalmente sintéticas, pois diminuirão em muito a ventilação vulvar.
O ideal é o bom senso e usá-los apenas quando houver uma secreção pouco mais intensa.

Sobre o especialista

Doutor Elvio Floresti Junior é ginecologista e obstetra formado pela Escola Paulista de Medicina desde 1984. Possui título de especialista em ginecologia e obstetrícia pela Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia) e título de especialista em colposcopia. Além disso é especializado em histerectomia vaginal sem prolapso uterino e está atualizado com as últimas técnicas cirúrgicas como sling vaginal, realiza pré-natal especializado e atua em gestações de alto risco. 

Gostaram das dicas?

Muito importante se você não sabe direitinho como cuidar da sua região íntima, agora pode ter todas as suas dúvidas sanadas, não é mesmo?

Espero que tenham gostado!

Beijos e até à próxima!

 

Um comentário:

Scroll To Top