segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Óleos funcionais: qual é a melhor alternativa para o emagrecimento?



Famosos, óleo de coco, de cártamo e de linhaça se tornaram queridinhos da dieta. Porém, qual deles seria o melhor aliado na luta contra a balança?

Tachadas por muito tempo como inimigas da boa forma, as gorduras ganharam um novo papel quando o assunto é perda de peso. Graças a estudos recentes esse nutriente tem conquistado cada vez mais espaço no cardápio daqueles que desejam eliminar uns quilinhos extras. Isso porque, ao contrário do que muitos imaginam, seu consumo equilibrado pode facilitar a lipólise – processo de queima de gorduras do organismo. Evidências apontam que o aporte adequado de ácidos graxos beneficia diversas funções orgânicas, dentre elas, a síntese hormonal, a produção de energia e até mesmo a sensação de saciedade. Não é à toa os óleos funcionais ganham cada vez mais adeptos: extratos como o de coco, de cártamo e de linhaça são conhecidos como “gorduras boas” e entregam benefícios que vão muito além da silhueta. Sempre em pauta quando o assunto é luta contra a balança, qual deles será o melhor aliado na hora de turbinar a dieta?

Gordura para emagrecer? Sim!

Pode parecer estranho, mas se você está numa dieta e restringe o consumo gorduras, pode estar sabotando o resultado, pois, de acordo com a nutricionista Sinara Menezes, o nutriente é indispensável, mesmo nas dietas de emagrecimento “É importante destacar que alguns ácidos graxos são essenciais, ou seja, são fundamentais ao organismo, porém nosso corpo não consegue produzi-los espontaneamente. Sendo assim, é preciso adquiri-los através da alimentação para que a saúde não seja afetada. O emagrecimento não foge dessa premissa, pois diversas funções orgânicas relacionadas à eliminação de gordura e aproveitamento da energia dependem desse aporte nutricional”. Ou seja, conforme explica a profissional da Nature Center, se este nutriente for totalmente excluído da dieta, o próprio processo de queima de gorduras é prejudicado.

Porém, não é qualquer gordura que pode fazer parte do cardápio: as consideradas benéficas para o organismo, mais conhecidas como gorduras boas, são encontradas em algumas fontes específicas como o azeite, o abacate, peixes de águas frias e, principalmente, nos óleos funcionais. Uma dos efeitos positivos para o emagrecimento é que esses ácidos graxos são capazes de promover a saciedade, ou seja, o indivíduo que ingere adequadamente as fontes certas de gordura consegue controlar a fome e a ingestão calórica com muito mais facilidade. E quando se trata dos óleos funcionais, alguns possuem particularidades que podem ser ainda mais favoráveis à boa forma, vejam quais:

As particularidades

Óleo de coco:



Extraído da famosa fruta tropical, este óleo pode ser encontrado tanto na versão refinada quanto na extra virgem. Rico em ácidos graxos de cadeia curta e média apresenta diversas vantagens para o organismo. Apesar de ser uma gordura saturada, sua característica bioquímica faz com que ele seja mais facilmente absorvido, sem precisar de lipoproteínas para fazer seu transporte na corrente sanguínea. Em virtude disso, seu aproveitamento como energia é maior, o que implica em menos chances dele ser depositado no tecido adiposo. Ou seja, o óleo de coco é melhor utilizado pelo corpo e, quando consumido adequadamente, não contribui para a formação dos temidos “pneuzinhos”.  Outro ponto destacado pela nutricionista é seu poder termogênico: “principalmente o tipo extra virgem que, devido suas propriedades, é rapidamente convertido em energia no organismo e propicia uma elevação do gasto calórico.” Seu consumo regular favorece, inclusive, o controle da dieta: por retardar o esvaziamento gástrico, este óleo prolonga a sensação de estômago cheio, dando aquela força para quem quer emagrecer.
As vantagens do consumo não param por aí: rico em ácido láurico (substância encontrada também no leite materno), o óleo de coco possui ação antifúngica, favorecendo a imunidade. E mesmo sendo uma gordura saturada, estudos apontam que seu consumo equilibrado não altera negativamente o colesterol, pelo contrário, seria capaz de aumentar HDL (bom colesterol), sendo uma excelente alternativa para aqueles que se preocupam com a saúde do coração.
Ponto positivo: “É muito bem vindo na culinária, pois é resistente à altas temperaturas. Como mantém suas características mesmo quando exposto ao calor, pode fazer parte do preparo dos pratos quentes da dieta sem que suas propriedades sejam perdidas.” – explica Sinara.

Óleo de Cártamo:


Extraído da planta asiática Carthamus Tinctorius, o cártamo já é considerado um queridinho das dietas fitness. Seu óleo é rico ácidos graxos como o Ômega 6 (ácido linoleico) e Ômega 9 (ácido oleico). Uma das principais vantagens para a redução de medidas é o que ácido linoleico é capaz de inibir a ação da enzima LPL (lipase lipoproteica). E a atividade dessa enzima está intimamente ligada ao acúmulo de gordura, especialmente a localizada, pois essa substância é a responsável por carregar a gordura da corrente sanguínea para as células que compõem o tecido adiposo. O ácido oleico, por sua vez, regula a produção do hormônio do stress – o cortisol. Existe o consenso de que, quando elevado, este hormônio propicia o acúmulo de gordura, especialmente na região do abdômen. Estudos apontam, também, que o consumo de óleo de cártamo estimula a produção da adiponectina – um hormônio capaz de murchar as células de gordura e ainda reduzir o colesterol.
Ponto positivo: “O poder anti-inflamatório desse óleo pode melhorar, dentre outras coisas, o aspecto da pele e combater a celulite. Isso porque o cártamo é rico em vitamina E, um potente antioxidante. Além disso, evidências apontam que seu consumo é capaz de estimular a leptina, hormônio responsável pela saciedade. Sendo assim, o óleo de cártamo é mais uma alternativa para os que se preocupam com a boa forma”.

Óleo de linhaça:



Extraído da semente de linhaça, o grande diferencial deste óleo que sua abundância em ácido alfa-linoleico (ALA) que, quando metabolizado pelo organismo, sem converte em Ômega 3 – um dos ácidos graxos fundamentais da dieta. Este composto é de extrema importância para o bom funcionamento do organismo, pois auxilia na redução dos processos inflamatórios. E você sabia que o acúmulo de gordura é um tipo de inflamação do tecido adiposo? Essa propriedade faz com que óleo atue também como regulador do colesterol. Além disso, o óleo é rico em vitamina E e possui efeito termogênico, ajudando a turbinar o metabolismo.
Ponto positivo: “Assim como o óleo de cártamo, ele possui Ômega 6, por também ser rico em Ômega3, é uma excelente alternativa para o óleo de peixe, especialmente para aqueles que seguem uma dieta vegetariana.”

Qual o melhor?

Com tantas particularidades é normal que surja a dúvida de qual deles é o melhor na hora de turbinar a dieta e, porque não, também a saúde. De acordo com a nutricionista, para pessoas saudáveis que não tenham restrições com o consumo de gorduras, o aconselhável e fazer um rodízio entre esses óleos para que todos os benefícios sejam atingidos. A profissional explica que isso é importante para garantir o equilíbrio, sobretudo quando se trata da ingestão dos Ômegas “A alimentação moderna é rica em Ômega 6 e pobre em Ômega 3, um cenário desfavorável ao organismo pois aumenta os processos inflamatórios. O ideal, portanto é que se busque um equilíbrio no consumo desses ácidos graxos, revezando estes alimentos tanto com o objetivo de variar a nutrição, quanto para diversificar o cardápio.” Obviamente, a recomendação pode mudar de acordo com o perfil e objetivo de cada indivíduo, por isso a importância do acompanhamento médico. Porém, quando consumidos de maneira equilibrada, dentro de uma dieta balanceada, todos podem trazer benefícios. Justamente por isso, a escolha mais acertada é variedade ou, até mesmo, a combinação desses óleos.

Óleo x cápsulas

Diante disso, muitos podem se perguntar sob qual a melhor forma de consumo: os óleos ou as cápsulas? De acordo com nutricionista, uma questão importante a se avaliar na hora de comprar um óleo funcional é sua forma de extração “Esses óleos, com exceção do de coco, são sensíveis ao calor e podem ter suas propriedades afetadas quando aquecidos. Sendo assim, é importante verificar se o óleo foi obtido através da extração a frio, o que preserva seus nutrientes. Se for para usar no preparo dos alimentos, apenas o óleo de coco é liberado, os outros podem ser utilizados apenas em pratos frios como saladas. Neste sentido, o consumo de cápsulas pode ser interessante, uma vez que se garante a integridade do óleo, além de tornar a ingestão mais prática”.

Eficazes, mas quando usados com equilíbrio!

Sinara finaliza alertando que os óleos, apesar de significativamente benéficos, não fazem milagre sozinhos: “Não adianta tomar cápsulas ou abusar dos óleos esperando a gordura sumir. É preciso lembrar que estamos falando de alimentos ricos em gordura que, quando consumidos em excesso, vão igualmente levar ao ganho de peso. Portanto, não adianta incluir estes óleos na alimentação, mas continuar consumindo alimentos ricos em gorduras ruins, como a trans e a hidrogenada. Outro ponto fundamental é fugir do sedentarismo, exercício físico é sempre indispensável, mais um forte aliado nesse processo”.

25 comentários:

  1. Eu uso óleo de coco em tudo e gosto bastante!

    Beijocas

    ResponderExcluir
  2. Cibele,
    Adorei saber das propriedades dos óleos! Estou usando o óleo de coco nos cabelos e amando muito.
    Beijos,
    DMULHERESInstagramFanpage

    ResponderExcluir
  3. Gostei de saber da funcionalidade dos óleos. Eu gosto e uso o de coco. Ótimo post !!
    Beijos

    www.baudasresenhas.com.br

    ResponderExcluir
  4. Boa noite flor, ainda não conhecia toda essa variedade de óleos, já ouvi falar que o óleo de coco é muito bom pra emagrecer mas nunca tentei. É bom sempre ficar de olho se eles são 100 naturais também, né?!
    Estou tentando levar uma vida mais saudável, logo esssas dicas aqui muito me ajudam!

    Beijos e muito sucesso 😘
    Minhas Inspirações por Sara Menezes

    ResponderExcluir
  5. oi!
    Adorei a dica :D
    Já tomei óleo de cártamo e é maravilhoso, vou experimentar os outro ;)
    bjo

    ResponderExcluir
  6. O óleo de coco, e o óleo de linhaça são os que mais vejo falar. Há muitos jeitos de como usá-los. Agora estou passando a cuidar mais de mim, esse post foi ideal.
    Bjus
    Lét
    https://ddreamsoficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Óleo de coco é vida. Gostei muito de saber mais sobre o assunto!

    ResponderExcluir
  8. Dicas sensacionais, o que eu mais ouço é do Óleo de Coco, deve ser muito bom mesmo, quero experimentar, bjs

    ResponderExcluir
  9. Uso o de coco em tudo! Pra cozinhar, pra hidratar o cabelo e até nas olheiras! Amo! O de linhaça ainda não testei, vou experimentar :)

    ResponderExcluir
  10. Conhecia ja o oleo de coco, os outros não, mas mesmo conhecendo, nunca que ia imaginar que faria efeito para emagrecer! www.carolineavila.com.br

    ResponderExcluir
  11. MENINA EU ACHAVA QUE CÁRTAMO ERA ALGUMA ESPÉCIE DE PEIXE :O PASSEI A VIDA TODA ACREDITANDO NISSO E SEU POST CHEGOU JOGANDO NA MINHA CARA QUE EU TO ENGANADA HAHAHA AMEI O POST E O DE COCO EU USO SEMPRE E AMO!

    ResponderExcluir
  12. adorei as suas dicas, só conhecia o óleo de coco, muito legal o seu post e bem explicado

    ResponderExcluir
  13. Muito bom saber sobre os óleos, que bom que eles ajudam a emagrecer, da seleção dos óleos o único tenho contato é o óleo de coco, muito bom o post bjs.

    ResponderExcluir
  14. Já ouvi falar que óleo de coco é muito bom. Mas sabe o que é melhor? Exercício Físico!
    Beijos!

    www.meumundonofundo.com.br

    ResponderExcluir
  15. Nossa não sabia tanto assim sobre os óleos mais já usei o óleo de coco e é muito bom....
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  16. Já ouvi falarem super bem desses óleos
    mas o que eu conheço pessoalmente é o de coco
    amei as dicas
    bjs

    ResponderExcluir
  17. Não fazia ideia de quanto as gorduras são essenciais! Adorei saber que o consumo em cápsulas é indicado, pois acho que fica mais fácil de consumir... Beijinhos... Au revoir!

    ResponderExcluir
  18. Post super completo, eu só sabia sobre o óleo de coco, não conhecia esses outros tipos de óleos, já ouvir falar que óleo de coco é ótimo para o emagrecimento saudável.

    ResponderExcluir
  19. Muito bom saber da importância desses óleos na nossa alimentação e como auxílio no emagrecimento , não conhecia o óleo de linhaça e nem o de cartamo .

    Bjs!

    ResponderExcluir
  20. Adoro oleo de coco e saber mais sobre eles é muito interessante bjus 😉

    ResponderExcluir
  21. Eu já uso óleo de coco mais no cabelo,mais já ouvi falar dele na refeição,gostei vou testar,como já sou fã dele quero encluir na refeição. Um beijo💋

    ResponderExcluir
  22. Gosto muito do óleo de coco, ainda não testei outros que ajudam na perda de peso. .gostei de saber mais detalhes de cada um deles. Muito interessante e informativo o.post!

    ResponderExcluir
  23. Cibele, a palavra é equilíbrio né? Nào adianta restringir a gordura na dieta, precisamos da gordura boa! Então é equilíbrio nisso e equilíbrio nos óleos que vc indicou! Cada um com seu potencial e se rodiziar o efeito será potente né?Gostei de saber dos benefícios deles, nunca tinha ouvido falar do óleo de cártamo!

    ResponderExcluir
  24. Tenho compra ainda óleo de coco, fiquei vontade de fazer isso. por isso meu marido não acreditava isso. aff. riso
    vou compra mesmo.. ele vai ver como é resultado.
    Beijos

    ResponderExcluir
  25. Bem interessante sua matéria, ainda não testei nenhum óleo de emagrecimento mas pode ter certeza q vou colocar na lista, já tentei de tudo.

    ResponderExcluir

Scroll To Top