REFLEXÃO: PERDOAR VALE A PENA?

Olá!
Após ler o livro, Perdão, a Revolução que falta, da terapeuta Heloísa Capelas comecei a questionar sobre essa “mochila de pedras” que muitas vezes carregamos nas costas, que se chama mágoa. Sempre que tenho tempo e estou inspirada, gosto de ler trechos da Bíblia que abordam esse tema. Leio-a não por questões religiosas, mas pelas inspirações filosóficas a respeito da vida que nos traz, mas é preciso interpreta-la muito bem.
O assunto aqui é questionar a nós mesmos sobre o perdão, sobre deixar ressentimentos para trás e nos sentirmos mais leves. Contudo, perdoar sinceramente requer empatia, além de assumirmos a responsabilidade pelos próprios atos e sentimentos. Pode valer muito a pena sim. Principalmente pelo amor próprio.
Perdoar requer inteligência emocional, o que nem sempre é fácil, pois a vida nos surpreende demasiadamente, a cada instante. Há de se ter uma capacidade de resiliência aguçada e vamos combinar, que nem todos a possui.
Embora não concorde com todos os aspectos apontados pela autora, o que destaco: o perdão, para melhorar nossa vida, que já está bastante onerada com tantos problemas. Manter uma dor que vem acompanhada de raiva e da ideia equivocada de que quem a causou, precisa pagar pelo que fez, alimentando a vingança; sinceramente é desperdício de tempo e de energia. Isso não evita um novo sofrimento, pelo contrário, o retroalimenta!

Temos um sentimento infantilizado, de que uma revanche nos devolverá o que nos foi tomado e que recuperaremos a autoestima perdida. Na verdade não é o que acontece, pois o rancor guardado faz a pessoa reviver no presente, a dor de algo ocorrido no passado; e que não deveríamos fortalecê-la. O outro pode estar muito bem, obrigado, enquanto você sofre, afirma a autora do livro. Fortalecemos a dor quando damos a ela uma importância que não tem, ou que não deveria ter em nossa vida.
Após refletir bastante sobre o tema, comecei a questionar sobre o perdão e conclui que a “mochila” fica mais leve, quando decidimos “largar as pedras no caminho” e continuar a caminhada.
PERDOAR UMA PESSOA QUE NOS MAGOOU PROFUNDAMENTE, NÃO SIGNIFICA TER QUE CONVIVER COM ELA. Pelo contrário, pode significar autolibertação definitiva, deixando-a para trás, já que nada nos acrescentou. Já àquelas que erraram e que merecem outra chance, cabe à decisão de mantê-las em nosso ciclo de vida e reinventar uma nova relação, pautada sobre bases sólidas.
Fica a reflexão! Um abraço!

Carla Amorim
colunista comportamento/relacionamento

5 comentários:

  1. Para mim o mais difícil é perdoar quem já convive dia a dia conosco. Se livrar das pedras com essas pessoas bem próximas fica mais difícil :(
    besitos

    www.blogmeamarro.com

    ResponderExcluir
  2. OI!
    Perdoar para mim é muito dificil... pedir perdão é mais fácil. Mas nas duas eu não voltaria confiar na pessoas como antes, se te machucou, enganou ou traiu uma vez com certeza fará outras. Mas perdoar faz bem.
    bjo

    ResponderExcluir
  3. Difícil esse assunto... não sei se perdoaria ou não!

    ResponderExcluir
  4. Perdoar não é algo fácil. Mas acredito que seja importante, pois a mágoa não faz bem para ninguém.

    ResponderExcluir
  5. Perdoar sempre vale a pena, muitas vezes para nosso próprio benefício mesmo. Agora, esquecer, nem sempre é fácil....

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.